Skip to main content
DONATE
Category

CAIXA

Confira as atividades de março na frente de Mapeamento e Validação

By CAIXA

Em março, foram realizados estudos prévios do CAR de 01 propriedade, totalizando 78,36 ha.  

Também foram realizados os mapas para validação de 01 propriedade, em um total de 78,36 hectares analisados (considerando áreas obrigatórias (APPs) e área possíveis (Reserva Legal e Supressão após 2008).  

O maior volume de atividades da equipe de mapeamento e validação em campo neste que é o final da temporada de plantio concentrou-se nas demandas da equipe de plantio em atividades de restauração, como a revisão de implantação de cercas, planejamento de rotas de acesso e mapeamento das áreas pós restauração para futuras manutenções e monitoramento. 

O conjunto de documentos de análise pré validação resultante para cada propriedade é encaminhado pela analista de geoprocessamento para a coordenadora de parcerias rurais e, após autorização do proprietário rural, segue para a etapa de validação presencial de áreas degradadas, processo realizado pelo analista de restauração.  

A analista de restauração emite então os relatórios de pós validação e, a partir desta etapa, o processo retorna para as próximas etapas da articulação, até a assinatura de parceria. Com o Termo de Adesão assinado, o processo retornará para a equipe de restauração (analistas de geoprocessamento e restauração, coordenador técnico e coordenador de campo) e será elaborado o PRADA (Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas e Alteradas) das propriedades e assentamentos parceiros. No período, foi elaborado o pacote de dados e mapeamento de 03 propriedades 

Além das atividades de mapeamento e validação, a equipe de analistas realizou outras demandas variadas incluindo dados e mapas pós validação (áreas validadas passíveis de restauração) de 3 propriedades, totalizando 377,63 ha; mapas para Prada de 1 propriedade, e mapas de acesso para propriedade com documentação aprovada pela equipe Caixa (início de restauração em janeiro de 2023). 

A METODOLOGIA

  • As atividades desta etapa, conduzida no início do processo de preparação de áreas degradadas para restauração, são realizadas pela analista de geoprocessamento e pelo analista de restauração, e tem como objetivo mapear previamente o tamanho do passivo ambiental e verificar a elegibilidade da propriedade abordada pela equipe de parcerias rurais para confirmar os critérios de participação no projeto. O mapeamento também permite detectar previamente a fitofisionomia original presente em cada local.
  • Os códigos de inscrição no CAR obtidos pela equipe de parcerias rurais são repassados à nossa analista de geoprocessamento que, por meio de imagens orbitais de diferentes fontes e composições espectrais, checa as informações declaradas pelo proprietário, comparando com a realidade mostrada na imagem. As áreas são vetorizadas novamente e reunidas em um novo arquivo. As inconsistências e resultados são apontadas em relatório que é apresentado ao proprietário rural.
  • A análise em campo, realizada pelo analista de restauração, confirmará o que foi mapeado especificamente quanto às áreas passiveis de restauração. Ele percorre as áreas mapeadas munidos de câmera fotográfica e GPS, em veículo próprio. Tem como objetivo verificar se o tamanho da área mapeada corresponde à realidade, o nível de degradação da área (se há erosão, gramíneas exóticas invasoras, presença de regeneração natural, solo exposto/compactado, lixo, etc.), eventuais obstáculos à restauração (acessos, rochas, concreções, animais de criação, etc.), facilidade de mecanização (de modo a auxiliar na escolha metodológica) e principais espécies observadas. São coletadas amostras de solo de modo a verificar a textura e a fertilidade. Com a análise do solo, das características locais e das espécies, tem-se a fitofisionomia original finalmente determinada. É um marco importante para planejar e iniciar o processo de restauração ecológica. Este processo leva de uma a duas semanas, a depender do tamanho das áreas.

Na divisão de tarefas da equipe, o trabalho cotidiano da analista de geoprocessamento é mapear, organizar e analisar as informações pré-validação. Depois são feitas análises como por exemplo recursos hídricos, comparação / diferença entre 2008 e hoje.

O processo de análise para cada propriedade gera um compilado de documentos, a saber:

  • Mapas, shapefiles
  • Estudo do CAR (Relatório)
  • Pasta de Validação: Subpastas pré validação (dados que serão encontrados em campo) e pós validação (dados que foram encontrados em campo, planilha remodulada com dados “reais”)

Total da Meta 2.1 alcançado: 29,41% 

As ações de mobilização comunitária, restauração e manutenção de áreas degradadas na região de Santana do Araguaia (PA) e Caseara (TO) fazem parte do programa Caixa Florestas, e são financiadas pelo Fundo Socioambiental CAIXA. 

Articulação de parcerias rurais durante a temporada de plantio

By CAIXA

O período de dezembro a fevereiro coincide com a estação chuvosa em Santana do Araguaia (PA) e Caseara (TO), e este é o momento em que os produtores rurais estão com a atenção prioritariamente voltada para suas lavouras. Neste contexto, a equipe de articulação focou seus esforços nas parcerias que já estavam em fases mais adiantadas de prospecção. A equipe buscou também realizar visitas para manutenção de relacionamento com produtores rurais que já possuem acordos de parcerias com a BJF. 

Segue abaixo um resumo por tema das demais atividades realizadas: 

  1. Atividades de mobilização de parcerias em Santana do Araguaia (PA)
  • Reuniões para acompanhar o relacionamento entre produtor parceiro e as atividades realizadas pela Black Jaguar, no seu escritório em Santana do Araguaia – PA. O produtor solicitou a elaboração do PRADA da sua fazenda para apresentação no órgão ambiental da cidade. 
  • A equipe de articulação da Black Jaguar, junto com o sr. André Felipe, presidente do Sindicato de Produtores Rurais de Santana do Araguaia, articulou um evento de plantio de árvores em homenagem aos antigos presidentes do sindicato, realizado em janeiro. 
  • Validação das áreas previstas para restauração em outra propriedade em Santana do Araguaia – PA. A visita foi acompanhada pelo analista de restauração. 
  • Visita a fazenda em Santana do Araguaia – PA e apresentação do projeto. O proprietário aceitou que realizasse análise do CAR dando início ao processo de prospecção de seu imóvel.
  • Reunião para recolhimento do contrato assinado de duas propriedades rurais. 
  1. Atividades de mobilização de parcerias em Caseara (TO)
  • Visita a produtor rural responsável por um grupo de 5 fazendas no município de Caseara. 
  1. Mobilização junto a outras organizações e instâncias governamentais:
  • Em fevereiro, foi realizada reunião de alinhamento com o Secretário de Meio Ambiente de Santana do Araguaia, Cleiton Carveli. O secretário solicitou a reunião para discutir sobre o projeto de educação ambiental para crianças do município voltados a prática do plantio de mudas. Durante a reunião o Cleiton solicitou apoio da instituição no projeto Quelônios, voltado a proteção e preservação das tartarugas. 

Total da Meta 1.2 alcançado: 27,14% 

As ações de mobilização comunitária, restauração e manutenção de áreas degradadas na região de Santana do Araguaia (PA) e Caseara (TO) fazem parte do programa Caixa Florestas, e são financiadas pelo Fundo Socioambiental CAIXA. 

As primeiras atividades de educação ambiental de 2023

By CAIXA

Através do convite dos professores do IFPA de Santana do Araguaia, os senhores Marcos e Alex, responsáveis pelos cursos de técnicos de agropecuária e técnicos do meio ambiente, no dia 04 de fevereiro a equipe da Black Jaguar se reuniu com os alunos para apresentar o projeto do Corredor de Biodiversidade do Araguaia.  

A apresentação foi conduzida pela coordenadora de parcerias rurais e a equipe de RH, que apresentaram as oportunidades de emprego na organização, e do técnico de segurança do trabalho da BJF, que possui formação como técnico ambiental e pôde apresentar um pouco da sua trajetória profissional para os alunos. 

Após a palestra, o grupo de estudantes visitou o viveiro florestal da BJF onde foram acompanhados pela analista de produção mudas. Na visita, os futuros técnicos de meio ambiente e agropecuária puderam acompanhar todo o processo de produção de mudas, as quais serão destinadas a restauração de áreas nas fazendas da região. 

E em 07 de fevereiro foi realizada a visita técnica para alunos da Universidade Federal Rural da Amazônia. Os graduandos foram acompanhados pela analista de produção de mudas, que demonstrou as principais atividades e detalhes sobre a gestão do viveiro BJF.

Acompanhe as notícias da BJF para saber mais sobre nossas ações de educação ambiental junto à Comunidade do Araguaia.

Total da Meta 1.3 alcançado: 19,05%

As ações de mobilização comunitária, restauração e manutenção de áreas degradadas na região de Santana do Araguaia (PA) e Caseara (TO) fazem parte do programa Caixa Florestas, e são financiadas pelo Fundo Socioambiental CAIXA.

Confira as atividades de Fevereiro na frente de Mapeamento e Validação

By CAIXA

No período de dezembro a fevereiro, foram realizados estudos prévios do CAR de 06 propriedade, totalizando 1.702,49 ha.  

Também foram realizados os mapas para validação de 10 propriedades, em um total de 3.129,23 hectares analisados (considerando áreas obrigatórias (APPs) e área possíveis (Reserva Legal e Supressão após 2008).  

O conjunto de documentos de análise pré validação resultante para cada propriedade é encaminhado pela analista de geoprocessamento para a coordenadora de parcerias rurais e, após autorização do proprietário rural, segue para a etapa de validação presencial de áreas degradadas, processo realizado pelo analista de restauração.  

A analista de restauração emite então os relatórios de pós validação e, a partir desta etapa, o processo retorna para as próximas etapas da articulação, até a assinatura de parceria. Com o Termo de Adesão assinado, o processo retornará para a equipe de restauração (analistas de geoprocessamento e restauração, coordenador técnico e coordenador de campo) e será elaborado o PRADA (Projeto de Recuperação de Áreas Degradadas e Alteradas) das propriedades e assentamentos parceiros. No período, foi elaborado o pacote de dados e mapeamento de 03 propriedades 

Além das atividades de mapeamento e validação, a equipe de analistas realizou outras demandas variadas incluindo dados e mapas pós validação (áreas validadas passíveis de restauração) de 3 propriedades, totalizando 377,63 ha; mapas para Prada de 1 propriedade, e mapas de acesso para propriedade com documentação aprovada pela equipe Caixa (início de restauração em janeiro de 2023). 

A METODOLOGIA

  • As atividades desta etapa, conduzida no início do processo de preparação de áreas degradadas para restauração, são realizadas pela analista de geoprocessamento e pelo analista de restauração, e tem como objetivo mapear previamente o tamanho do passivo ambiental e verificar a elegibilidade da propriedade abordada pela equipe de parcerias rurais para confirmar os critérios de participação no projeto. O mapeamento também permite detectar previamente a fitofisionomia original presente em cada local.
  • Os códigos de inscrição no CAR obtidos pela equipe de parcerias rurais são repassados à nossa analista de geoprocessamento que, por meio de imagens orbitais de diferentes fontes e composições espectrais, checa as informações declaradas pelo proprietário, comparando com a realidade mostrada na imagem. As áreas são vetorizadas novamente e reunidas em um novo arquivo. As inconsistências e resultados são apontadas em relatório que é apresentado ao proprietário rural.
  • A análise em campo, realizada pelo analista de restauração, confirmará o que foi mapeado especificamente quanto às áreas passiveis de restauração. Ele percorre as áreas mapeadas munidos de câmera fotográfica e GPS, em veículo próprio. Tem como objetivo verificar se o tamanho da área mapeada corresponde à realidade, o nível de degradação da área (se há erosão, gramíneas exóticas invasoras, presença de regeneração natural, solo exposto/compactado, lixo, etc.), eventuais obstáculos à restauração (acessos, rochas, concreções, animais de criação, etc.), facilidade de mecanização (de modo a auxiliar na escolha metodológica) e principais espécies observadas. São coletadas amostras de solo de modo a verificar a textura e a fertilidade. Com a análise do solo, das características locais e das espécies, tem-se a fitofisionomia original finalmente determinada. É um marco importante para planejar e iniciar o processo de restauração ecológica. Este processo leva de uma a duas semanas, a depender do tamanho das áreas.

Na divisão de tarefas da equipe, o trabalho cotidiano da analista de geoprocessamento é mapear, organizar e analisar as informações pré-validação. Depois são feitas análises como por exemplo recursos hídricos, comparação / diferença entre 2008 e hoje.

O processo de análise para cada propriedade gera um compilado de documentos, a saber:

  • Mapas, shapefiles
  • Estudo do CAR (Relatório)
  • Pasta de Validação: Subpastas pré validação (dados que serão encontrados em campo) e pós validação (dados que foram encontrados em campo, planilha remodulada com dados “reais”)

Total da Meta 2.1 alcançado: 26,47% 

As ações de mobilização comunitária, restauração e manutenção de áreas degradadas na região de Santana do Araguaia (PA) e Caseara (TO) fazem parte do programa Caixa Florestas, e são financiadas pelo Fundo Socioambiental CAIXA. 

Seleção e treinamentos da mão de obra para as atividades de plantio

By CAIXA

Os viveiristas da BJF trabalham em tempo integral no viveiro localizado em Santana do Araguaia. São pessoas previamente treinadas e capacitadas para as diferentes atividades de um viveiro: semeadura, repicagem, transplante, crescimento e aclimatação, bem como a gestão da irrigação, da adubação e da expedição. Os colaboradores são selecionados pelo setor de RH da BJF, em parceria como o corpo técnico. Há entrevistas e medição da capacidade de resolução de problemas comuns a um viveiro.  

Já a mão de obra para a temporada de plantio (auxiliares de campo) trabalha em contratos intermitentes durante o ano, dependendo do estágio de preparação, implantação ou manutenção de plantio, tanto no município de Santana do Araguaia (PA) quando em Caseara (PA). A mão de obra contratada, pessoas da comunidade rural, será capacitada para o uso de equipamentos de segurança e para as diferentes atividades de plantio: limpeza de terreno, utilização de fertilizantes, abertura de aceiros, roçagem de capim, abertura de covas, semeadura, manuseio de mudas, entre outros. 

Os colaboradores são selecionados pelo setor de RH da BJF (analista de RH Sr), em parceria como o coordenador técnico e o coordenador de campo. Há entrevistas e medição da capacidade de resolução de problemas. 

Em novembro, foi realizada a pré-seleção de auxiliares de campo, para maior agilidade e efetividade das demandas do plantio, quando da aprovação da documentação de propriedade parceira pela equipe Caixa. 

Em dezembro, iniciamos os procedimentos de entrevistas para futuras contratações dos auxiliares de campo que realização as atividades de plantio planejadas a partir de janeiro de 2023. 

Em novembro, foi realizada a pré-seleção de auxiliares de campo, para maior agilidade e efetividade das demandas do plantio, quando da aprovação da documentação de propriedade parceira pela equipe Caixa. 

Em dezembro, iniciamos os procedimentos de entrevistas para futuras contratações dos auxiliares de campo que realização as atividades de plantio planejadas a partir de janeiro de 2023. Foram contratados colaboradores para a função de auxiliar de campo e encarregado de campo, dando início ao seu contrato de trabalho na data do dia 23/01/2023. 

As atividades do período consistiram em: 

  • 1º Integração RH/SST  
  • 2º Integração RH/SST  
  • Vistoria nos Alojamentos  
  • Treinamento Teórico Roçada  
  • Treinamento Prático Roçada  
  • Treinamento Teórico Capina Química  
  • Treinamento Prático Capina Química  

Descrição das atividades: 

  • INTEGRAÇÃO RH/SST: A integração de colaboradores tem como objetivo apresentar o ambiente e os processos de trabalho para os novos contratados, fazendo com que todos os departamentos em campo se integrem e se sintam confortáveis, promovendo um clima organizacional saudável e claro desde o início. 
  • TREINAMENTO ROÇADA: A atividade de roçada compõe o ciclo de restauração ecológica. Seu principal objetivo é limpar área e deixá-la adequada para o plantio de mudas e sementes. O treinamento visa qualificar o profissional para as especificidades das atividades da BJF. Sabemos que o treinamento, por ser específico e relacionado as nossas atividades, fornece resultados rápidos, garantindo eficiência a segurança da nossa equipe. Treino teórico realizado durante turno da manhã, e no período da tarde a equipe realiza treinamento prático e supervisionado. 
  • TREINAMENTO CAPINA QUÍMICA: A capina química é um procedimento que consiste na utilização de produtos químicos agrotóxicos com o objetivo de combater as espécies danosas e invasoras da restauração. Apesar de benéfica para o sucesso da restauração ecológica, a técnica oferece sérios riscos aos seres humanos. Treino realizado durante turno da manhã, e Atividade Prática realizada à tarde. 

Total da Atividade 2.2.2 alcançado: 18,95% 

As ações de mobilização comunitária, restauração e manutenção de áreas degradadas na região de Santana do Araguaia (PA) e Caseara (TO) fazem parte do programa Caixa Florestas, e são financiadas pelo Fundo Socioambiental CAIXA. 

Expedição de mudas no Viveiro Black Jaguar

By CAIXA

No mês de fevereiro, a equipe de viveiristas da BJF, com a gestão da analista de produção de mudas, realizou importantes atividades como:

  1. Atividades de produção e manutenção de mudas:
  • Repicagem das espécies jenipapo em tubete pequeno;
  • Repicagem de plântulas das espécies Ingá feijão, Cupuaçu em tubete médio;
  • Beneficiamento de semente da espécie cafezinho;
  • Semeadura em tubete médio da espécie cafezinho, Cupuaçu;
  • Semeadura de sementes da espécie Sombreiro em tubete pequeno;
  • Semeadura de sementes da espécie Emburana, no calhetão com areia (Espécie nova, descoberta na comunidade de Barreira do campo);
  • Acompanhamento de germinação na casa de sombra;
  • Semeadura da espécie Ingá peludo;
  • Plantio da cerca viva em torno de todo o viveiro;
  • Quebra de dormência da semente da espécie Guanandi, através de escarificação mecânica e imersão em água;
  • Semeadura das sementes da espécie Guanandi, no calhetão com areia;
  • Quebra de dormência das sementes da espécie Jatobá, através de escarificação mecânica;
  • Expedição de mudas para plantio.
  1. Atividades operacionais:
  • Limpeza de espaços vazios no calhetão de areia;
  • Limpeza dos filtros da motobomba;
  • Limpeza e organização do galpão;
  • Movimentação de mudas da casa de sombra para a área de pleno sol;
  • Irrigação manual da cerca viva;
  • Assepsia de tubetes, através da imersão em água com hipoclorito de sódio;
  • Coroamento da cerca viva.
  1. Atividades de educação ambiental:
  • Visita de alunos da Escola Estadual de Educação Tecnológica do Estado do Pará (EETEPA) no sábado dia 04/02
  • Visita técnica para alunas da Universidade Federal Rural da Amazônia;
  • Visita de integrantes da Rede de Sementes do Cerrado.

OBS.: Neste mês continuamos utilizando o caminhão pipa, porém com menos frequência devido ao começo do período chuvoso.

 

Total da Atividade 2.2.5 alcançado: 14,76%

As ações de mobilização comunitária, restauração e manutenção de áreas degradadas na região de Santana do Araguaia (PA) e Caseara (TO) fazem parte do programa Caixa Florestas, e são financiadas pelo Fundo Socioambiental CAIXA.

Flyer Informativo – Desenvolvimento Econômico Local

By CAIXA

Em fevereiro, o flyer informativo a ser enviado para nossa base de contatos de Santana do Araguaia (PA) e região focou no papel da Black Jaguar Foundation para o desenvolvimento econômico local. 

Segue material produzido:  

Total da Meta 1.1 alcançado: 26,72% 

 

As ações de mobilização comunitária, restauração e manutenção de áreas degradadas na região de Santana do Araguaia (PA) e Caseara (TO) fazem parte do programa Caixa Florestas, e são financiadas pelo Fundo Socioambiental CAIXA. 

Confira as atividades de Janeiro na frente de Mapeamento e Validação

By CAIXA

No mês de janeiro, foram realizados os mapas para validação / revalidação (APPs + RL + Após 2008) de 2 propriedades, em um total de 2.839,7 hectares.  

Outras demandas variadas incluíram: 

  • Revisão do estudo prévio do CAR de 1 propriedade (164,38 ha);
  • Dados e mapas pós validação (áreas validadas passíveis de restauração) (270,9 ha);
  • Mapas pré-restauração da estação 2022-2023 de 12 propriedades.

 

A METODOLOGIA

  • As atividades desta etapa, conduzida no início do processo de preparação de áreas degradadas para restauração, são realizadas pela analista de geoprocessamento e pelo analista de restauração, e tem como objetivo mapear previamente o tamanho do passivo ambiental e verificar a elegibilidade da propriedade abordada pela equipe de parcerias rurais para confirmar os critérios de participação no projeto. O mapeamento também permite detectar previamente a fitofisionomia original presente em cada local.
  • Os códigos de inscrição no CAR obtidos pela equipe de parcerias rurais são repassados à nossa analista de geoprocessamento que, por meio de imagens orbitais de diferentes fontes e composições espectrais, checa as informações declaradas pelo proprietário, comparando com a realidade mostrada na imagem. As áreas são vetorizadas novamente e reunidas em um novo arquivo. As inconsistências e resultados são apontadas em relatório que é apresentado ao proprietário rural.
  • A análise em campo, realizada pelo analista de restauração, confirmará o que foi mapeado especificamente quanto às áreas passiveis de restauração. Ele percorre as áreas mapeadas munidos de câmera fotográfica e GPS, em veículo próprio. Tem como objetivo verificar se o tamanho da área mapeada corresponde à realidade, o nível de degradação da área (se há erosão, gramíneas exóticas invasoras, presença de regeneração natural, solo exposto/compactado, lixo, etc.), eventuais obstáculos à restauração (acessos, rochas, concreções, animais de criação, etc.), facilidade de mecanização (de modo a auxiliar na escolha metodológica) e principais espécies observadas. São coletadas amostras de solo de modo a verificar a textura e a fertilidade. Com a análise do solo, das características locais e das espécies, tem-se a fitofisionomia original finalmente determinada. É um marco importante para planejar e iniciar o processo de restauração ecológica. Este processo leva de uma a duas semanas, a depender do tamanho das áreas.

Na divisão de tarefas da equipe, o trabalho cotidiano da analista de geoprocessamento é mapear, organizar e analisar as informações pré-validação. Depois são feitas análises como por exemplo recursos hídricos, comparação / diferença entre 2008 e hoje.

O processo de análise para cada propriedade gera um compilado de documentos, a saber:

  • Mapas, shapefiles
  • Estudo do CAR (Relatório)
  • Pasta de Validação: Subpastas pré validação (dados que serão encontrados em campo) e pós validação (dados que foram encontrados em campo, planilha remodulada com dados “reais”)

Total da Meta 2.1 alcançado: 23,53% 

As ações de mobilização comunitária, restauração e manutenção de áreas degradadas na região de Santana do Araguaia (PA) e Caseara (TO) fazem parte do programa Caixa Florestas, e são financiadas pelo Fundo Socioambiental CAIXA. 

Mobilização Comunitária – Flyer informativo para Parcerias Rurais

By CAIXA

Com o objetivo de engajar a comunidade local e trazer maior confiança e credibilidade ao trabalho realizado pela Black Jaguar, em janeiro a coordenadora de comunicação, em parceria com a equipe de Articulação, produziu um flyer informativo para ser compartilhado por meio do whatsapp em grupos de produtores rurais de Santana do Araguaia e Caseara.   

Nesta edição, focamos em mostrar como no último ano a Black Jaguar firmou parcerias e se consolidou na região como o principal apoiador na restauração ecológica e na regularização ambiental das propriedades rurais. 

Para isso, destacamos a quantidade de parcerias firmadas do último ano e a quantidade de terras captadas para restauração na região de Santana do Araguaia: 

O material foi compartilhado via whatsapp e replicado pela própria comunidade local, conforme imagem abaixo: 

(Imagem divulgada nas redes sociais pelo presidente do Sindicato dos Produtores Rurais de Santana do Araguaia).

Total da Meta 1.1 alcançado: 23,68%

As ações de mobilização comunitária, restauração e manutenção de áreas degradadas na região de Santana do Araguaia (PA) e Caseara (TO) fazem parte do programa Caixa Florestas, e são financiadas pelo Fundo Socioambiental CAIXA. 

Conteúdo das Redes sociais em janeiro focado nas atividades de campo

By CAIXA

Com o auge da temporada de plantio, o conteúdo planejado nas redes sociais para o mês de janeiro foi com total enfoque às atividades de plantio – e todas as iniciativas decorrente delas.

Intensificamos postagens com as atividades relacionadas à restauração, as técnicas de plantio e a produção da muvuca para semeadura direta, entre outros tópicos.

Também promovemos uma postagem para regiões estratégicas, a fim de aumentar o alcance da Black Jaguar. Como resultado, conseguimos alcançar quase 14 mil pessoas ao longo do mês com esse anúncio em específico e 22 mil com todo o conteúdo do mês.

Total da Meta 1.1 alcançado: 23,68%

As ações de mobilização comunitária, restauração e manutenção de áreas degradadas na região de Santana do Araguaia (PA) e Caseara (TO) fazem parte do programa Caixa Florestas, e são financiadas pelo Fundo Socioambiental CAIXA.