DONATE

Novidade animadora sobre a Biodiversidade: passamos de 42 a 53 espécies nativas no nosso Portfólio de Árvores

By 11. maio 2021News Home

Quanto mais restauramos, mais aprendemos sobre as espécies que utilizamos em nossos projetos. Ambos os biomas em que trabalhamos (Amazônia e Cerrado) têm uma das taxa mais altas do mundo de biodiversidade de árvores. Portanto, é de total interesse do nosso projeto que tentemos conservar o maior número possível de espécies. O processo de inclusão de uma nova espécie em nosso portfólio começa com uma observação cuidadosa da árvore em seu habitat natural. Após estas observações e com base em seus resultados, coletamos as sementes correspondentes e montamos um viveiro de experimentação com elas. Estes testes tornarão possível determinar as taxas de germinação e crescimento inicial das mudas.

Um outro experimento é então realizado no campo para determinar se a espécie é mais útil para reconstruir a estrutura da floresta ou se ela irá compor a biodiversidade mais tarde. A experimentação também nos dirá se esta espécie pode ser utilizada em outras técnicas, tais como o plantio direto.

Desde 2018, nosso portfólio principal é composto de 42 espécies diferentes de árvores. Na última estação chuvosa, porém, conseguimos acrescentar 11 novas espécies a este portfólio. Um exemplo muito bom é o pequizeiro (Caryocar brasiliense), uma espécie muito importante nativa do Cerrado e das franjas da Amazônia. No passado, as dificuldades no cultivo nos impediram de utilizá-lo em nossos projetos. Agora, no entanto, elaboramos estratégias para superar os desafios e levá-lo a mais e mais locais de restauração. Este aumento de espécies ajudará a aumentar o impacto e a qualidade de nossos projetos de restauração, e permitirá que ainda mais espécies sejam restauradas nos biomas da Amazônia e do Cerrado!